Portal Gospel Play - O canal de conteúdos do cristão online!

Pastor é preso após pregar em uma rua conhecida como “vila gay”

Pregador da palavra, David Lynn foi detido pela polícia canadense após ter discursado sobre o pecado

O pastor David Lynn foi preso após pregação na Gay Village, em Toronto. (Foto: Reprodução Facebook)

OUVIR NOTÍCIA

Um pregador canadense foi preso na tarde de terça-feira (4) em Toronto sob acusação de “perturbar a paz”, após fazer um sermão de rua em uma região conhecida como “Gay Village” (traduzida como “Vila Gay”).

A polícia disse que foi chamada na esquina das ruas Church e Wellesley por volta das 17h50 de terça, após relatos de uma manifestação na área.

David Lynn, 39 anos, do ministério Christ’s Forgiveness, estava pregando por vários pontos da cidade quando decidiu parar na Church e Wellesley para evangelizar. Ele afirma que sua mensagem não tinha como foco apontar os homossexuais.

“Jesus morreu pelo pecador. Você sabia que toda pessoa é pecadora?”, Lynn pregou em um microfone. “Todo heterossexual pecou. Todo homossexual pecou. E o pecado é quando nós violamos as leis de Deus e nos opomos às coisas da fé”.

Em comunicado publicado na quarta-feira, a polícia disse que sua mensagem causou “alarme” na comunidade e, por sua vez, atraiu uma “grande multidão hostil”. Maior parte do incidente foi filmada e publicada nas redes sociais.

Algumas pessoas começaram a cercar Lynn com a bandeira do arco-íris enquanto outras seguravam cartazes com mensagens como “Amor é amor” e “Se sua religião te ensina a odiar, então você precisa de uma nova religião”.

Lynn continuou falando à multidão: “Estou aqui para dizer a vocês que vocês merecem respeito. Cada pessoa é merecedora de respeito”.

 

Ele foi libertado sob fiança após uma aparição no tribunal de College Park na manhã de quarta-feira. Como parte de suas condições de fiança, ele não pode participar de eventos do Orgulho Gay na cidade.

O incidente aconteceu horas depois do prefeito de Toronto, John Tory, erguer a bandeira do arco-íris na prefeitura, ao lado de vereadores, para dar início ao mês do orgulho LGBT.

“Eu não fiz nada ilegal”, disse Lynn a repórteres depois que ele foi libertado. “Eu não fui lá para provocar ninguém. Nós fazemos parte de uma turnê em Toronto, onde estamos indo por toda Toronto... Eu não sabia que esse era o primeiro dia do mês do orgulho LBGT”.

“O que eu disse é que há esperança para todos e que Deus os ama. Eu repetidamente disse isso. Eu não mergulhei fundo em nenhuma conversa de orientação sexual”, declarou Lynn. “Parecia que eles tinham um ‘evento’ esperando por mim, e eles tinham alguma forma de ódio contra mim. E ficou muito claro”.

O prefeito John Tory comentou o incidente na quarta-feira afirmando que a liberdade de expressão tem seus limites e que os cidadãos de Toronto deveriam evitar ser politicamente polarizados.

Fonte

Portal Gospel Play, com informações de GUIAME, via GLOBAL NEWS E CHRISTIAN NEWS
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

Pastor é preso após pregar em uma rua conhecida como “vila gay”

Portal Gospel Play, com informações de GUIAME, via GLOBAL NEWS E CHRISTIAN NEWS

Um pregador canadense foi preso na tarde de terça-feira (4) em Toronto sob acusação de “perturbar a paz”, após fazer um sermão de rua em uma região conhecida como “Gay Village” (traduzida como “Vila Gay”).

A polícia disse que foi chamada na esquina das ruas Church e Wellesley por volta das 17h50 de terça, após relatos de uma manifestação na área.

David Lynn, 39 anos, do ministério Christ’s Forgiveness, estava pregando por vários pontos da cidade quando decidiu parar na Church e Wellesley para evangelizar. Ele afirma que sua mensagem não tinha como foco apontar os homossexuais.

“Jesus morreu pelo pecador. Você sabia que toda pessoa é pecadora?”, Lynn pregou em um microfone. “Todo heterossexual pecou. Todo homossexual pecou. E o pecado é quando nós violamos as leis de Deus e nos opomos às coisas da fé”.

Em comunicado publicado na quarta-feira, a polícia disse que sua mensagem causou “alarme” na comunidade e, por sua vez, atraiu uma “grande multidão hostil”. Maior parte do incidente foi filmada e publicada nas redes sociais.

Algumas pessoas começaram a cercar Lynn com a bandeira do arco-íris enquanto outras seguravam cartazes com mensagens como “Amor é amor” e “Se sua religião te ensina a odiar, então você precisa de uma nova religião”.

Lynn continuou falando à multidão: “Estou aqui para dizer a vocês que vocês merecem respeito. Cada pessoa é merecedora de respeito”.

 

Ele foi libertado sob fiança após uma aparição no tribunal de College Park na manhã de quarta-feira. Como parte de suas condições de fiança, ele não pode participar de eventos do Orgulho Gay na cidade.

O incidente aconteceu horas depois do prefeito de Toronto, John Tory, erguer a bandeira do arco-íris na prefeitura, ao lado de vereadores, para dar início ao mês do orgulho LGBT.

“Eu não fiz nada ilegal”, disse Lynn a repórteres depois que ele foi libertado. “Eu não fui lá para provocar ninguém. Nós fazemos parte de uma turnê em Toronto, onde estamos indo por toda Toronto... Eu não sabia que esse era o primeiro dia do mês do orgulho LBGT”.

“O que eu disse é que há esperança para todos e que Deus os ama. Eu repetidamente disse isso. Eu não mergulhei fundo em nenhuma conversa de orientação sexual”, declarou Lynn. “Parecia que eles tinham um ‘evento’ esperando por mim, e eles tinham alguma forma de ódio contra mim. E ficou muito claro”.

O prefeito John Tory comentou o incidente na quarta-feira afirmando que a liberdade de expressão tem seus limites e que os cidadãos de Toronto deveriam evitar ser politicamente polarizados.

Fale conosco!

Encaminhe sua mensagem, assim que possível estaremos te respondendo ;)