Portal Gospel Play - O canal de conteúdos do cristão online!

"Deus me reconstruiu", afirma pastor que venceu pensamentos suicidas na prisão

Andrew Brunson relata em seu livro autobiográfico como desistiu do suicídio no tempo em que esteve mantido como refém

Andrew Brunson ficou preso injustamente por mais de 700 dias na Turquia. (Foto: NPR)

OUVIR NOTÍCIA

Após ter sido mantido como refém político durante 735 dias, o pastor Andrew Brunson está compartilhando em seu novo livro, o lado de Deus nessa história de vida durante todo o tempo em que ele esteve preso na Turquia, e viveu os momentos mais sombrios de sua vida.

O livro decorre de uma promessa a Deus enquanto estava na prisão, onde ele lutou contra pensamentos suicidas e chegou a questionar sua fé, sem saber se algum dia veria a liberdade novamente.

"Minha história é de fragilidade", disse Brunson ao programa "Fox & Friends" na última segunda-feira. "Muitas das histórias de biografias que li, têm personagens muito fortes. Na verdade, eu estava muito fraco e quebrado na prisão, e então Deus me reconstruiu ... Eu disse na prisão: 'Deus, se você me deixar sair daqui, se eu tiver a chance de falar, estarei aberto e serei honesto sobre o meu quebrantamento".

Ele acrescentou: "Espero que essa história seja um incentivo para outras pessoas que estejam se sentindo fracas".

Sua esposa, Norine, disse que o livro "God's Hostage: A True Story of Persecution, Imprisonment, and Perseverance" ("Refém de Deus: Uma verdadeira história de perseguição, prisão e perseverança"), que já está à venda nas prateleiras das livrarias americanas nos EUA, "mostrará algo do que Deus estava fazendo nele, mas também em todo o mundo através do movimento de oração".

"Havia milhões de pessoas orando por mim em todo o mundo, e esse é o lado Deus da história", disse o pastor Brunson. "Eu chamo o livro de 'Refém de Deus', porque eu era refém de Erdogan, mas quando Deus realizou o que ele queria através da minha prisão, que eu acho que levantou milhões de pessoas para abençoar a Turquia em oração, então fui libertado. Vejo Deus como o grande mestre do xadrez ... Por trás de toda a intriga política, Deus estava realmente no comando".

Brunson ainda espera que a oração mude a "situação desesperadora" da Turquia hoje.

"Quando acordamos esta manhã, estávamos orando para que Deus agisse sobre essa situação desesperadora e trouxesse algo de bom", disse ele, acrescentando que o país em que ele passou 25 anos como missionário cristão "parece estar se afastando. Suas relações com o Ocidente e haverá muitas implicações para isso".

O pastor também falou sobre como o presidente Trump "realmente tomou ações sem precedentes" para libertá-lo da prisão.

"Ele estava envolvido mais do que se poderia esperar ... há tantos telefonemas e ele pressionou muito, e acho que se ele não tivesse tomado as medidas que ele tomou, eu ainda estaria sentado em uma prisão turca", disse Brunson.

E ele disse que Norine não cederia. "Ela é uma leoa. Ela lutou por mim", afirmou.

Numa reflexão, Andrew disse à Fox News na semana passada: "A liberdade é tão bonita, e são as pequenas coisas que importam. Sentado em um banco com minha esposa, tomando café da manhã com ela. Não são as grandes coisas que foram completamente roubadas quando eu estava na prisão... Não conversei com meu filho mais velho por dois anos. Isso me fez falta", disse ele.

Veja mais!

Pesquisa releva que metade dos cristãos considera seu pastor um “amigo”

Fonte

Portal Gospel Play, com informações de Guiame, via FOX NEWS
  • Compartilhe
  • Compartilhar no Facebook
  • Compartilhar no Twitter
  • Compartilhar no WhatsApp

"Deus me reconstruiu", afirma pastor que venceu pensamentos suicidas na prisão

Portal Gospel Play, com informações de Guiame, via FOX NEWS

Após ter sido mantido como refém político durante 735 dias, o pastor Andrew Brunson está compartilhando em seu novo livro, o lado de Deus nessa história de vida durante todo o tempo em que ele esteve preso na Turquia, e viveu os momentos mais sombrios de sua vida.

O livro decorre de uma promessa a Deus enquanto estava na prisão, onde ele lutou contra pensamentos suicidas e chegou a questionar sua fé, sem saber se algum dia veria a liberdade novamente.

"Minha história é de fragilidade", disse Brunson ao programa "Fox & Friends" na última segunda-feira. "Muitas das histórias de biografias que li, têm personagens muito fortes. Na verdade, eu estava muito fraco e quebrado na prisão, e então Deus me reconstruiu ... Eu disse na prisão: 'Deus, se você me deixar sair daqui, se eu tiver a chance de falar, estarei aberto e serei honesto sobre o meu quebrantamento".

Ele acrescentou: "Espero que essa história seja um incentivo para outras pessoas que estejam se sentindo fracas".

Sua esposa, Norine, disse que o livro "God's Hostage: A True Story of Persecution, Imprisonment, and Perseverance" ("Refém de Deus: Uma verdadeira história de perseguição, prisão e perseverança"), que já está à venda nas prateleiras das livrarias americanas nos EUA, "mostrará algo do que Deus estava fazendo nele, mas também em todo o mundo através do movimento de oração".

"Havia milhões de pessoas orando por mim em todo o mundo, e esse é o lado Deus da história", disse o pastor Brunson. "Eu chamo o livro de 'Refém de Deus', porque eu era refém de Erdogan, mas quando Deus realizou o que ele queria através da minha prisão, que eu acho que levantou milhões de pessoas para abençoar a Turquia em oração, então fui libertado. Vejo Deus como o grande mestre do xadrez ... Por trás de toda a intriga política, Deus estava realmente no comando".

Brunson ainda espera que a oração mude a "situação desesperadora" da Turquia hoje.

"Quando acordamos esta manhã, estávamos orando para que Deus agisse sobre essa situação desesperadora e trouxesse algo de bom", disse ele, acrescentando que o país em que ele passou 25 anos como missionário cristão "parece estar se afastando. Suas relações com o Ocidente e haverá muitas implicações para isso".

O pastor também falou sobre como o presidente Trump "realmente tomou ações sem precedentes" para libertá-lo da prisão.

"Ele estava envolvido mais do que se poderia esperar ... há tantos telefonemas e ele pressionou muito, e acho que se ele não tivesse tomado as medidas que ele tomou, eu ainda estaria sentado em uma prisão turca", disse Brunson.

E ele disse que Norine não cederia. "Ela é uma leoa. Ela lutou por mim", afirmou.

Numa reflexão, Andrew disse à Fox News na semana passada: "A liberdade é tão bonita, e são as pequenas coisas que importam. Sentado em um banco com minha esposa, tomando café da manhã com ela. Não são as grandes coisas que foram completamente roubadas quando eu estava na prisão... Não conversei com meu filho mais velho por dois anos. Isso me fez falta", disse ele.

Veja mais!

Pesquisa releva que metade dos cristãos considera seu pastor um “amigo”

Fale conosco!

Encaminhe sua mensagem, assim que possível estaremos te respondendo ;)